Tensões Interdisciplinares: relações entre as dimensões poética, estrutural e coreográfica de Le Cygne, de Saint-Saëns, e de A Morte do Cisne, de Michel Fokine

Autores

  • Arthur Zucchi Boscato UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Guilherme Sauerbronn de Barros UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Resumo

Partindo da análise do jogo de tensões e resoluções que define uma obra musical tonal, este artigo procura ampliá-la para encontrar conexões entre a peça Le Cygne (1886), de Camille Saint-Saëns, e o balé A Morte do Cisne (1905), de Michel Fokine. Para isso, a obra musical é analisada sob uma abordagem schenkeriana, enquanto no estudo da obra coreográfica toma-se como base teórica as traduções de termos das áreas da teoria da música e da análise de movimento realizadas por McMains e Thomas (2013). Após as análises destas dimensões em isolado, o artigo se propõe a estabelecer as relações entre ambas, observando a qualidade destas relações – a partir das categorias de McMains e Thomas (2013) e chegando à discussão sobre a política do discurso do balé clássico; e, por fim, às possibilidades de continuidade da pesquisa, com potência de expansão para abarcar poéticas contemporâneas.Palavras-chave: Le Cygne. A Morte do Cisne. Análise schenkeriana. Análise coreomusical.

Biografia do Autor

Arthur Zucchi Boscato, UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestrando na linha de Processos Criativos na UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina, PPGMUS - Programa de Pós-Graduação em Música. Graduado em Licenciatura em Música pela mesma Universidade. E-mail: arthurboscato@gmail.com. ORCID no.: 0000-0001-9395-007X.

Guilherme Sauerbronn de Barros, UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutor em Musicologia pela UNIRIO; Mestre em Piano pela UFRJ; Bacharel em Piano pela UNIRIO. Professor Associado no Departamento de Música do CEART e orientador na linha de Processos Criativos no PPGMUS/UDESC. E-mail: guisauer@gmail.com. ORCID no.: 0000-0001-7887-8807.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. Trad. (1ª ed. bras.) Alfredo Bosi; Rev. e Trad. (5ª ed.) Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

AMORIM, Marilia. O discurso da dança e o conceito de gênero: alguns elementos de leitura. Bakhtiniana, v. 15, n. 2, p. 64-96, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/42617. Acesso em: 02 jan. 2022.

ANAN, Sylvia Tamie. Entre a pantera e o anjo: Geir Campos e a recepção de Rainer Maria Rilke no Brasil. Opiniães, n. 12, p. 50-62, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/opiniaes/article/view/142722. Acesso em: 02 jan. 2022.

BACH JUNIOR, Jonas. O conceito de metamorfose e a fenomenologia da natureza de Goethe. Griot: Revista de Filosofia, v. 10, n. 2, p. 173-188, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/5766/576664779011/html/. Acesso em: 02 jan. 2022.

BRAZIL, Mark. Swan culture. J. Rakuno Gakuen Univ., 28 (1), p. 65-83, 2003. Disponível: Disponível em: http://clover.rakuno.ac.jp/dspace/bitstream/10659/447/1/J-28-1-65.pdf.

CABRAL, Thiago. Musicologia sistemática, humanismo e contemporaneidade. OPUS, v. 20, n. 2, p. 125-150, 2014. Disponível em: https://www.anppom.com.br/revista/index.php/opus/article/view/79. Acesso em: 02 jan. 2022.

CAESAR, Rodolfo. O enigma de Lupe. Rio de Janeiro: Zazie Edições, 2016.

CAMARGO, Andréia Vieira Abdelnur. As metáforas do cisne na dança. Anais do II Congresso de Pesquisadores em Dança – ANDA. Comitê Memória e Devires em Linguagens de Dança. São Paulo: UNESP, 2012. Disponível em: <http://docplayer.com.br/26020573-As-metaforas-do-cisne-na-danca.html>. Acesso em: 25 nov. 2020.

CHAUI, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 1995.

DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Notas do subsolo. Trad. Maria Aparecida Botelho Pereira Soares. Porto Alegre: L&PM, 2013.

FARIA, Ernesto. Dicionário escolar latino-português. Ministério da Educação e Cultura – Departamento Nacional de Educação – Campanha Nacional de Material de Ensino, 1962.

FERRACINI, Renato. Atuação como composição de afetos. In: ____. Ensaios de atuação. São Paulo: Perspectiva, 2013. p. 49-74.

FERRAZ, Silvio. Música e repetição: a diferença na composição contemporânea. São Paulo: EDUC-Editora da PUC-SP, 1998.

FERRAZ, Silvio. Para uma arte que se inventa a todo tempo cabe uma ferramenta de análise que se invente junto com esta arte. Anais do Encontro Nacional de Composição Musical de Londrina, Londrina, p. 190-197, 2014.

GERLING, Cristina Caparelli; BARROS, Guilherme Sauerbronn de. Glossário de termos schenkerianos [livro eletrônico]. 1. Ed. Salvador: TEMA, 2020.

GOETHE, JW von. A Metamorfose das plantas. Trad. Maria Filomena Molder, Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1993.

JOSÉ, Ana Maria de São. Subversão e performance de gênero no balé A Morte do Cisne. Anais do V Fórum Identidades e Alteridades / I Congresso Nacional Educação e Diversidade. Itabaiana: UFS, 2011. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/984/1/SubversaoGeneroBale.pdf. . Acesso em: 02 jan. 2022.

KINGHORN, Alexander M. The swan in legend and literature. Neophilologus, v. 78, n. 4, p. 509-520, 1994. Disponível em: https://docs.google.com/document/edit?id=1zDNfdPtTBHBMkacF-TjU9401bg4xFbMJDYV3XV26kSo&hl=en. Acesso em: 02 jan. 2022.

KOEGLER, Horst. The concise Oxford dictionary of ballet. Londres: Oxford University Press, 1977.

MANNIS, José Augusto; MARKEAS, Alexandros. Processos cognitivos de percepção, análise e síntese atuando no processo criativo: Mímesis de mímesis. Anais doEncontro Nacional de Composição Musical de Londrina, Londrina, p. 198-225, 2014.

MARCELO, Wuldson. Antonin Artaud Liberto das Amarras do Juízo: o corpo sem órgãos como crítica ao pensamento ocidental. Revista Entrelinhas, v. 7, n. 2, jul./dez, p. 278-287. São Leopoldo: UNISINOS, 2013. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/entrelinhas/article/view/3473. . Acesso em: 02 jan 2022.

MARTÍNEZ, Isabel Cecilia; EPELE, Juliette. Embodiment in dance: relationships between expert intentional movement and music in ballet. 7th Triennial Conference of European Society for the Cognitive Sciences of Music (ESCOM 2009). Jyväskylä, 2009. Disponível em: <https://www.aacademica.org/martinez.isabel.cecilia/83.pdf>. Acesso em: 25 nov. 2020.

MCMAINS, Juliet; THOMAS, Ben. Translating from pitch to plié: Music theory for dance scholars and close movement analysis for music scholars. Dance Chronicle, v. 36, n. 2, p. 196-217. Abingdon-on-Thames: Routledge, 2013. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01472526.2013.792714. Acesso em: 02 jan. 2022.

NABUCO, Ivan Gonçalves. Um estudo sobre a dimensão metafísica do conceito de linha fundamental na teoria musical de Henrich Schenker. Dissertação. (Mestrado em Música) - Centro de Artes, da Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC. Florianópolis: UDESC, 2019.

OCKELFORD, Adam. On similarity, derivation and the cognition of musical structure. Psychology of Music, v. 32, n. 1, p. 23-74. Thousand Oaks: Sage Publishing, 2004. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0305735604039282. Acesso em: 02 jan. 2022.

OLIVEIRA, Ana Claudia de. Fala gestual. São Paulo: Perspectiva, 1992.

OLIVEIRA, Heitor Martins. Música e teatralidade: a perspectiva composicional. DEBATES, n. 15, nov., p.49-66. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2015. Disponível em:

<https://www.academia.edu/19478941/M%C3%BAsica_e_teatralidade_a_perspectiva_composicional>. Acesso em: 05 dez. 2020.

OLIVEIRA, Luis Felipe. O estudo da música a partir do paradigma dinâmico

da cognição. PERCEPTA-Revista de Cognição Musical, v. 2, n. 1, p. 17-36, 2014. Disponivel em: https://www.researchgate.net/publication/277555705_O_estudo_da_musica_a_partir_do_paradigma_dinamico_da_cognicao. Acesso em: 02 jan. 2022.

OLIVEIRA, Luis Felipe. O conceito de estrutura fundamental na análise schenkeriana e suas bases cognitivas. Anais do XIV Simpósio Internacional de Cognição e Artes Musicais - SIMCAM 14, p. 331-340. Curitiba: Associação Brasileira de Cognição e Artes Musicais (ABCM), 2019.

PASKEVSKA, Anna. Ballet beyond tradition. Psychology Press. Abingdon-on-Thames: Routledge, 2005.

PORPINO, Karenine de Oliveira. Dança do cisne: a expressão do corpo e a obra de arte. Anais ABRACE, v. 9, n. 1, 2008. Disponível em: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/abrace/article/view/1250/1347. Acesso em: 02 jan. 2022.

RAMOS, Maria Celeste Tommasello. Do Aqueronte ao Eunoé: os rios mitológicos e a simbologia das águas em La Divina Commedia de Alighieri. In: RAMOS, M. C. T.; ALVES, M. C. R.; HATTNHER, A. L. Pelas veredas do fantástico, do mítico e do maravilhoso. São José do Rio Preto: Cultura Acadêmica, 2013.

ROY, Kaustuv. Gradientes de Intensidade: o espaço háptico deleuziano e os três "erres" do currículo. Educação & Realidade, v. 27, n. 2, p. 89-109, 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/viewFile/25920/15188. Acesso em: 02 jan. 2022.

SAINT-SAËNS, Camille. Le Carnaval des Animaux: grand fantaisie zoologique. Arranjo para piano de Lucien Garban. Paris: Durand & Cie., 1951. Disponível em: https://petruccimusiclibrary.ca/files/imglnks/caimg/7/7d/IMSLP21948-PMLP06099-garban_saint-saens_carnival.pdf. Acesso em: 23 nov. 2020.

SAINT-SAËNS, Camille et al. Le carnaval des animaux: grande fantaisie zoologique: pour ensemble de chambre ou petit orchestre. Wiesbaden: Breitkopf & Härtel, 1997.

SENE, Vinícius França de. Modernidade e angústia na obra de Charles Baudelaire: uma análise filosófica dos poemas de “As Flores do Mal”. Linguagem Acadêmica, v. 1, n. 2, p. 83-108, 2011. Disponível em: https://intranet.redeclaretiano.edu.br/download?caminho=upload/cms/revista/sumarios/54.pdf&arquivo=sumario6.pdf. Acesso em: 02 ja. 2022.

SETENTA, Jussara Sobreira. O fazer-dizer do corpo: dança e performatividade. Salvador: EDUFBA, 2008.

SHAKESPEARE, William. Otelo. Trad. Carlos Alberto Nunes. Livro digital nº 901, São Paulo: Iba Mendes Editor Digital, 2017.

SOMBRA, José de Carvalho. A subjetividade corpórea: a naturalização da subjetividade na filosofia de Merleau-Ponty. São Paulo: Ed. Unesp, 2006.

TEEWISSEN, Jon. Four minutes a dying swan: Anna Pavlova and becoming the symbol of the New Russian Ballet. Michigan Opera Theatre, 8 jul. 2020. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2020.

THE DYING Swan G. Ulanova Bolshoi Ballet. 1956. Vídeo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=tcx9-IYwS3Y&t=4s . Acesso em: 01 dez. 2020.

Publicado

2022-02-05